Brasil: Governo do Acre e instituições estabelecem união pela cultura de paz

. . PARTICIPACIÓN DEMOCRATICA . .

Un artigo das Notícias do Acre

Em um momento de comunhão, o governador Tião Viana recebeu na Casa Civil, nesta quinta-feira, 7, as instituições que formam o grupo Caminhada pela Paz no Acre que é liderada pelo Rotary Club Penápolis. O encontro foi uma iniciativa para agradecer ao apoio do governo nas ações do grupo e para a proposição de novas ações pela cultura da paz.


Tião Viana propôs a criação de um comitê permanente para discutir a segurança pública (Foto: Sérgio Vale/Secom)

O governador agradeceu a determinação de todos que, juntos, têm trabalhado o envolvimento da sociedade no debate pela segurança pública. “Temos que unir e lutar para vencer com a paz e a verdade. Só temos um caminho para combater a violência, é ter uma cultura de paz em nossa sociedade. O maior problema é a droga que está invadindo nosso país”, disse Tião Viana.

A proposta dada pelo governador é que seja criado uma comissão permanente com essas instituições para discussão de diversas questões da segurança pública. A idéia foi aceita pelos representantes e em breve já deverá ser criada uma agenda de debate conjunto.

(Artigo continuou na coluna à direita)

(Clique aqui para a versão inglês.)

Pregunta(s) relacionada(s) al artículo

The culture of peace at a regional level, Does it have advantages compared to a city level?

(Artigo continuação da coluna esquerda)

O grupo realiza há três anos uma caminhada pela cidade de Rio Branco no intuito de levar a mensagem de paz e harmonia. A última edição foi realizada no dia 30 de novembro. “Precisamos cultivar uma convivência em harmonia na sociedade. Para isso, temos que atacar a conscientização das pessoas de que não há outro caminho que não seja a paz”, declarou Manoel de Jesus Lima, popularmente conhecido por “Garrincha”, membro do Rotary e coordenador da Caminhada.
As instituições

Fazem parte desse grupo diversas instituições da sociedade civil acreana, além de órgãos do governo como a Polícia Militar. São elas: Escoteiros do Brasil, Ministério Público Estadual, Casa da Amizade, Ordem dos Advogados do Brasil, Apae, Diocese de Rio Branco, Exército Brasileiro, Federação das Indústrias do Acre, Maçonaria, entre outras.

“Aqui temos inúmeras instituições em busca da construção de uma cultura de paz, que começa necessariamente dentro de casa e depois irradia para as ruas, passando pelas escolas e vários ambientes. Aqui estamos construindo um ambiente que possa definitivamente contribuir, agora com uma reunião permanente”, afirmou Emylson Farias, secretário de Segurança.

“Governador, o senhor colocou no Encontro de Governadores [realizado em Rio Branco em outubro deste ano] algo que precisa ser refletido: a questão da segurança pública está afetando nossa soberania. Nesse sentido, a gente começa a questionar se nossa missão está sendo bem cumprida. Proporcionar a sensação de segurança é também uma missão nossa, por isso estamos sempre dispostos a trabalhar em parceria com a Secretaria de Segurança Pública no enfrentamento contra à criminalidade”, relatou o coronel Wellington Valone, comandante do Comando de Fronteira Acre/ 4°Batalhão de Infantaria de Selva.

Ele pontua ainda que pelo fato de o Acre ser uma área de fronteira, o Exército tem amparo legal para atuar nesse sentido. “Delitos transfronteiriços interferem diretamente na segurança”, complementa.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *